“Ricos não deveriam usar o SUS”, afirma Drauzio Varella

A Bigorna 17/05/2018 08:04:00 339 visualizações
# legenda: Drauzio Varella

Durante passagem pelo Reino Unido para participar de um ciclo de palestras, o médico Drauzio Varella declarou à BBC Brasil que o Sistema Único de Saúde (SUS) não deveria ser usufruído por pessoas ricas. “Acho que, num país com a desigualdade do Brasil, temos uma parte da população com condições econômicas bastante favoráveis que não deveria usar o SUS.” E completou: “Deveria deixá-lo para quem não tem alternativa, para quem se trata pelo SUS ou não se trata em lugar algum”.

Drauzio também expôs sua opinião sobre a intervenção política no Ministério da Saúde. “Você sabe quantos ministros da Saúde o Brasil teve de 2000 a 2018? Doze. Nos últimos cinco anos, foram seis. A média de permanência no cargo foi de dez meses. Outro problema é que no Brasil temos milhares de cargos de confiança, trocamos os diretores de hospitais pelo país inteiro, trocamos os chefes de autarquias (…), a cada dez meses os processos são desestruturados. Isso ocorre em todas as esferas: federal, estadual e municipal. Como você consegue organizar uma empresa, qualquer uma, se a cada dez meses todos os diretores e gerentes são trocados?”, questionou.

Na entrevista, Varella ainda contou sua experiência nos presídios brasileiros, nos quais é voluntário há décadas. O médico falou também sobre temas polêmicos, como aborto, homossexualidade, descriminalização das drogas e o papel da fé no processo de cura.

Saúde pública do Brasil

Quando o assunto são os problemas da saúde pública do Brasil, Drauzio Varella tem muitas críticas e sugestões. “Outro problema é que no Brasil temos milhares de cargos de confiança, trocamos os diretores de hospitais pelo país inteiro, trocamos os chefes de autarquias (…) a cada dez meses os processos são desestruturados. Isso ocorre em todas as esferas: federal, estadual e municipal. Como você consegue organizar uma empresa, qualquer uma, se a cada dez meses todos os diretores e gerentes são trocados?”, comentou. Além disso, ele mencionou que o SUS se beneficiaria muito se os recursos públicos voltados para esse fim fossem mais bem aproveitados, com melhor organização a nível municipal, estadual e até federal, com um gerenciamento mais eficiente do que o Brasil tem hoje.

Quando perguntado sobre o que faria se fosse ministro da Saúde, Varella disse se julgar incapaz de trabalhar com a administração pública já que não tem conhecimento suficiente para isso. Ele também criticou o fato de que o atual ministro da Saúde pertence a um partido que já foi citado na Operação Lava Jato. Ele disse ainda que o ministro tem de ser uma pessoa de liderança, capaz de ouvir os técnicos de saúde e que “tenha ideias do que fazer para enfrentar esse enorme desafio” que é o sistema público de saúde brasileiro.

Descriminalização das drogas

Em assuntos mais polêmicos, o médico não evitou dar opiniões firmes. “Sou a favor da descriminalização sempre. O usuário não pode ser criminalizado. Isso é uma questão de saúde”, comentou. Para ele, os usuários não devem ser criminalizados, eles devem ser ajudados porque a dependência está associada a fatores biológicos, genéticos, comportamentais e sociais. Varella acredita que é a proibição da venda legal que alimenta o tráfico, mas antes de acontecer a legalização é necessário uma preparação educacional dentro de casa e nas escolas.(DaVeja)

 

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br