Assessor de Joselyr Silvestre acusa vereador e culpa a “imprensa”

A Bigorna 15/10/2018 22:00:00 3607 visualizações
# legenda: Política

A Secretaria de Comunicação enviou uma nota no último final de semana afirmando que o vereador do DEM Estati estaria praticando o crime de ‘prevaricação’. Entretanto, agora envia outra nota distorcendo os fatos e culpando a imprensa.

Em nota a assessoria de Joselyr Silvestre diz que houve uma interpretação distorcida da resposta enviada e que os jornais que publicaram a matéria que estariam realizando uma desinformação.

Seria trágico, mas é cômico enviar uma nota e depois tentar desmentir àquilo que a própria secretaria escreve, o que denota a falta de capacidade que se espera de um secretário.

Na ‘contra resposta’ que desmente o que a própria secretaria escreveu, ela erra até mesmo o nome do vereador Estati, escrevendo Stati.

A incapacidade e a falta de capacidade da secretaria de Comunicação vêm sendo notada há tempos por quase todos os setores da imprensa comprometida e que não fez a desinformação, como afirma o assessor de Joselyr Silvestre, mas apenas reproduziu o texto escrito pela própria secretaria.

Falar em desinformação é relembrar que o secretário de Comunicação está conseguindo – cada vez mais – deixar o governo mais longe de chegar com informações verdadeiras, ao ponto de acusar um vereador sem provas.

Em sua Palavra Livre, o democrata Carlos Alberto Estati disse que todo o governo tem ‘encosto do mal’, e que o atual governo tem alguns ‘pernas de pau’ que deixam o prefeito ‘sem bola’.

 Veja na Íntegra o e-mail enviado ao jornal A Voz do Vale:

“A Secretaria do Meio Ambiente esta apurando a denúncia do vereador. Não há notícia conhecida de que a poluição esteja ocorrendo. O vereador tem amplo conhecimento do sistema de tratamento de água e esgoto do município, pois já foi secretário municipal de Habitação e participou ativamente da implantação de alguns projetos habitacionais. Se, eventualmente, ele tenha conhecimento do fato há tempos, deveria, por dever de ofício, ter comunicado as autoridades competentes como a Cetesb e o próprio Ministério Público sob pena de prevaricação. Não se tem conhecimento de que tenha agido neste sentido.

A Prefeitura não se manifesta sobre "opiniões", somente sobre caco concreto que envolva diretamente sua administração.”

Nota do Jornal: Como está escrita ‘caco’, erro de português que significa caso. O texto de resposta e acusação ao vereador está na íntegra de como foi enviada. Acima a primeira nota e abaixo a nota que tenta culpar a imprensa ou os jornais por terem veiculado uma informação escrita pela própria prefeitura, que ‘bate cabeças’ até mesmo ao se autodesmentir.

 

Prefeitura recua e tenta desmentir nota com outra nota

Na última quinta-feira, 11, em resposta ao questionamento feito pelo Jornal A Voz do Vale sobre o "vazamento de esgoto no lago do Horto Florestal", a Secretaria do Meio Ambiente por meio da Secretaria da Comunicação, informou que apuraria a denúncia feita pelo vereador Carlos Aberto Stati, na palavra livre do dia 8.

Alguns veículos de comunicação local informaram que a Secretaria do Meio Ambiente de Avaré acusou o vereador de prevaricar. A Prefeitura da Estância Turística de Avaré informa que, em momento algum, acusou o vereador Carlos Aberto Stati de ter cometido o crime de prevaricação, afirmação que jamais foi divulgada.

Na reposta enviada no dia 11 ao Jornal A Voz do Vale, reforçamos que se, eventualmente, o vereador teve conhecimento de situação parecida no passado, deveria, por dever de ofício, ter comunicado os órgãos competentes como a Cetesb ou o próprio Ministério Público, sob pena de prevaricação. Finalizamos a explicativa, com a afirmação de que "não se tem conhecimento de que tenha agido nesse sentido".

Lamentavelmente, houve uma interpretação distorcida da resposta enviada. Como já pontuado, a Secretaria do Meio Ambiente narrou que, em outros tempos, caso o vereador tivesse tido  conhecimento de algum vazamento de esgoto no lago do horto florestal, este teria levado ao conhecimento das autoridades, caso contrário teria prevaricado. Por fim, ressaltamos que "não se tem conhecimento de que o vereador  tenha agido nesse sentido (denunciado qualquer ocorrência)".   Em outras palavras, o vereador não denunciou porque, obviamente, não tinha conhecimento de outro episódio do tipo, tratando-se, tão somente, de fato isolado a atual apuração.

Em tempo, a Secretaria do Meio Ambiente informa que  promoveu uma vistoria no local e não encontrou despejo direto de esgoto no lago do horto. Contudo, um Posto de Visitação da Sabesp localizado nas imediações apresentava danos. A Sabesp foi comunicada e imediatamente fez o reparo no dispositivo.

A Prefeitura de Avaré lamenta que, por motivos alheios ao interesse de informar, uma simples resposta enviada a um veículo de imprensa tenha causado tanta "desinformação".

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br