Avaré: Sindicato sai em defesa de motoristas da prefeitura

A Bigorna 19/11/2017 09:49:00 567 visualizações
# legenda: Leonardo E. Santo

Está sendo comentada, nos bastidores da Prefeitura de Avaré, uma ação futura da Administração que poderá afetar diretamente aproximadamente 30 profissionais das mais variadas pastas da Administração local: a abertura de processos administrativos para apurar supostas irregularidades praticadas por motoristas com veículos das secretarias em que estes são lotados.

A situação desagradou diretamente os possíveis afetados e acendeu um sinal de alerta nos demais condutores, pois a punição será decorrência direta da própria Prefeitura, que não faz a manutenção constante nos carros utilizados para os diversos tipos de transporte feitos pela Municipalidade.

Conforme as informações repassadas ao Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais de Avaré e Região, os processos pretendem apurar a responsabilidade dos trabalhadores que, em viagens para outras cidades ou mesmo em seus turnos normais nas estradas vicinais avareenses, receberam multas devido ao equipamento utilizado estar em más condições.

"Absurdo"

“É, no mínimo, um absurdo observarmos essa situação. Ao invés de se preocupar em manter os veículos em bom estado, a Prefeitura está mais atenta em punir os trabalhadores que tentam, com o que lhes é oferecido, exercer suas funções devidamente”, destacou o presidente da entidade, Leonardo do Espírito Santo.

As informações, segundo o Sindicato, apontam pneus carecas, parte elétrica em mau estado, documentos em atraso e, até mesmo, veículos específicos sem tacógrafos, assim como mau estado de conservação dos carros.

Departamento Jurídico

O Departamento Jurídico do Sindicato está aguardando a abertura dos supostos processos para, na sequência, auxiliar seus afiliados nas defesas.

“Logicamente, cada caso será analisado separadamente para que possamos ser justos. Não podemos deixar que trabalhadores, obrigados a desenvolver suas funções de forma capenga devido aos equipamentos fornecidos, sejam penalizados por algo que não devem”, destacou o sindicalista.

Os processos devem ser abertos em breve, conforme apurado. Não foram veiculadas as secretarias às quais profissionais visados estão ligados.

Precauções devidas 

Segundo presidente Leonardo do Espírito Santo, esses casos não tiveram início nos dias atuais. “As ordens são dadas e são cumpridas pelos servidores, mesmo quando os carros estão em péssimo estado de conservação, quase sem condições de rodar”, disse.

Para o atual presidente, os trabalhadores precisam se precaver como forma de evitar represálias futuras: quando perceberem as condições indevidas dos transportes, informar as mesmas aos seus superiores diretos por meio de Comunicação Interna ou relatório e pedir restauros para continuidade dos serviços; caso sejam forçados a executarem as ações com os carros nos estados relatados, que peçam a assinatura do responsável pela ação para evitar sanções futuras.

“Os carros, como estão nos dias atuais, colocam em risco a vida dos condutores e passageiros, além da população em geral. É nessa área que ações deveriam ser tomadas, e não punindo quem tenta trabalhar honestamente”, frisou Leonardo.(AssessoriadoSindicato)

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br