Mãe grávida e feto morrem por suposto erro médico em Avaré

A Bigorna 13/06/2018 12:42:00 3734 visualizações
# legenda: Denúncia

Um caso de suposto erro médico ocorrido esta semana em Avaré provocou a morte de uma mulher de 25 anos, que não teve a sua gravidez detectada durante um atendimento no Pronto-Socorro e isso também teria levado à morte o feto que estava em desenvolvimento. A família da vítima registrou um boletim de ocorrência assim que ficou sabendo do óbito.

Elizandra Silva Mendes, de 25 anos, era moradora da Vila Esperança e procurou o Pronto-Socorro Municipal depois de começar a sentir dores abdominais. Ela foi atendida pela equipe plantonista há cerca de 30 dias, tendo sido diagnosticada com possível problema renal, medicada e liberada em seguida. As informações são do jornal A Comarca.

Como as dores persistiram nos dias seguintes, Elizandra voltou ao Pronto-Socorro, no dia 4 de junho, e dessa vez a equipe plantonista resolveu solicitar um exame mais aprofundado, de ultrassonografia, e foi então constatado que a paciente estava grávida de cerca de três semanas, porém, o feto já havia entrado em óbito.

De imediato a paciente foi transferida para a Maternidade da Santa Casa onde todos os procedimentos teriam sido tomados, na tentativa de reavaliar o caso e constatar o que realmente estava ocorrendo. Entretanto, o caso de Elizandra se agravou e ela acabou entrando em coma na terça-feira, dia 5, ficando internada na UTI da Santa Casa com quadro clínico de infecção generalizada. Ela faleceu na quarta-feira, dia 6.

ERRO MÉDICO – Revoltados com os acontecimentos, familiares procuraram a Polícia Civil e registraram um boletim de ocorrência (BO) de natureza “morte suspeita”, pois eles acreditam que houve erro médico desde o primeiro atendimento prestado à Elizandra no Pronto-Socorro há cerca de um mês. No BO, a mãe da vítima, Sheila de Fátima Silva, de 44 anos, relata que chegou a conversar com o médico Dr. Cândido, o qual declarou que Elizandra estava realmente grávida, de cerca de três meses, o que só foi constatado depois que a vítima passou por exames minuciosos. Para o médico em questão, o feto já estaria morto há vários dias, mas a vítima não tinha conhecimento da sua situação gestacional, pois um exame feito por ela no dia 9 de março deu resultado negativo.

Consta ainda no B.O que os médicos não declinaram a causa da morte de Elizandra, e solicitaram a mãe dela que comparecesse ao plantão policial para as providências legais.

O advogado da família, Marcos Barbosa, disse à reportagem do Jornal A Comarca que vai aguardar o resultado dos exames do Instituto Médico Legal (IML) de Avaré, os quais deverão apontar a real causa da morte de Elizandra. Barbosa acredita que pode ter ocorrido erro médico já na primeira vez que a vítima procurou pelo Pronto-Socorro, onde exames de praxe poderiam ter detectado a gravidez e um acompanhamento profissional do caso certamente teria evitado o pior.

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br